5 de dez de 2010

Medos.

  Até agora eu não tinha visto meu boletim. Na verdade, eu até já tinha visto, mas a ficha ainda não tinha caído. Eu passei de ano. Meu Deus, a felicidade aqui é gigantesca, mas o medo também.
  Tenho tanto medo do que vai acontecer ano que vem... tenho medo de me esquecer daqueles que amo. Tenho medo de nunca mais poder ver as pessoas da minha classe, e principalmente,  os meus amigos do 8º ano.
   Tenho medo também de não me enturmar, por assim dizer, numa nova escola, num novo espaço, com novas pessoas. Tenho medo de chorar todos os dias pensando na felicidade e na tristeza juntas no sorriso e nos olhos de cada pessoa de minha sala.
    Tenho medo de que a colação de grau e a formatura cheguem, pois ao badalar das 2 horas da madrugada de domingo, vou ter a certeza de que as minhas manhãs nunca mais serão as mesmas. Nunca mais chegarei atrasada com minha mãe praticamente me expulsando do carro, entrarei pelo portão da escola, darei um beijinho no rosto do porteiro, caminharei completamente insegura e pensando em que aula irei aproveitar para dormir e derrepente, abrirei a porta, pedirei licença para o professor, olharei nos olhos de cada um de minha sala e me sentarei na carteira que estiver sobrando.
     Nunca mais.
     Talvez nunca seja uma palavra muito forte, talvez este momento volte a acontecer, mas não será nos olhos dos meus amigos que estão comigo há 8 anos que olharei. Não será na mesma carteira sobrando que eu sentarei. não será para os mesmo professores que pedirei licença ao entrar na sala de aula. Nada vai ser do mesmo jeito. Não irei mais ver a minha irmã çiamesa e nem a minha eterna. Não irei mais abraçar o meu Caio-emo-não-assumido e nunca mais cortarei fila na cantina pra poder comer antes dos pequenos.
      É, está começando uma nova época, e junto com esta nova época, novos obstáculos a serem superados. Sem os meus amigos ao meu lado, mas com eles para sempre em meu coração.
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário